Carne bovina proveniente de abate clandestino apreendida em Ouro Branco

Agora há pouco, enquanto em patrulhamento no perímetro urbano da cidade de Ouro Branco, objetivando a realização de operações na MG 443 e MG 129, equipe da Polícia Militar Rodoviária desconfiou de caminhonete, que possuía significativo volume debaixo da capota marítima. Condutor do veículo ainda se mostrou um pouco apreensivo com a possibilidade de ser abordado, embora não tenha momento algum resistido a ela. Durante verificação da carga contida do utilitário, policiais detectaram grande quantidade de peças de carne bovina que, segundo o condutor da caminhonete, seriam comercializadas em seu açougue. De imediato, foi feito contato com o Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, que determinou o encaminhamento da carga para destruição.

É extremamente preocupante a comercialização de gêneros alimentícios nessas condições. Além do risco de doenças em virtude da falta de higiene durante o abate, há ainda a grande possibilidade – não que seja o caso – de estarmos adquirindo carne produto de abigeato (furto de gado).

O barato pode, muitas vezes, sair caro! Uma das obrigações dos estabelecimentos é apresentar ao consumidor as informações de rastreabilidade e, nas embalagens, indicar: origem, data da manipulação, pesagem correta, prazo de validade. Cheque todas essas informações.